Como tratar as tonturas e os desequilíbrios causados por problemas no ouvido interno

Como tratar as tonturas e os desequilíbrios causados por problemas no ouvido interno

As tonturas e os desequilíbrios são sintomas muito comuns e incómodos, que podem afetar a qualidade de vida das pessoas. Muitas vezes, a origem destes sintomas está no ouvido interno, uma estrutura que faz parte do sistema vestibular, responsável pelo equilíbrio e orientação espacial do nosso corpo.

A capacidade de manter o equilíbrio é essencial para a nossa vida diária. No entanto, para talgumas pessoas, esse processo pode ser afetado por distúrbios que afetam o sistema vestibular. Felizmente, existem tratamentos eficazes que podem ajudar a restaurar a qualidade de vida dessas pessoas. A fisioterapia, que desempenha um papel crucial na reabilitação de distúrbios do equilíbrio e desafios do sistema vestibular.

Os sintomas associados aos distúrbios do equilíbrio podem ser debilitantes. Tonturas, vertigens, desequilíbrio e náuseas são apenas alguns exemplos das manifestações desses distúrbios. Esses sintomas podem ter um impacto significativo na vida cotidiana das pessoas, limitando as atividades da vida diária e prejudicando a qualidade de vida.

É importante que as pessoas que apresentam tonturas e desequilíbrios consultem um médico ou um fisioterapeuta especializado, que possa avaliar a sua situação e indicar o tratamento mais adequado. Este é o primeiro passo para um tratamento eficaz. Essa avaliação minuciosa permite criar um plano de tratamento personalizado para cada paciente, de acordo com as suas necessidades específicas. Através de uma abordagem individualizada, a fisioterapia busca atuar diretamente nas áreas afetadas, visando restaurar o equilíbrio e reduzir os sintomas.

Um dos distúrbios mais frequentes do ouvido interno é a Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB), que se caracteriza por episódios curtos e recorrentes de vertigem (uma sensação de movimento rotatório, tudo gira) em resposta a mudanças na posição da cabeçaA VPPB é causada pelo deslocamento de partículas de cálcio (otocónias) que se soltam de uma parte do ouvido interno (o utrículo e o sáculo) e se deslocam para outra parte (mais comumente o canal semicircular posterior). Estas partículas provocam uma estimulação anormal do canal semicircular, criando uma falsa sensação de movimento.

A VPPB pode ocorrer em qualquer idade. Pode ser desencadeada por traumatismos cefálicos, doenças do ouvido interno ou causas desconhecidas. Os episódios de vertigem costumam durar menos de um minuto e são acompanhados de náuseas, vómitos e movimentos anormais dos olhos (nistagmo). As pessoas com VPPB podem sentir-se inseguras, ansiosas e limitadas nas suas atividades diárias.

Felizmente, existe tratamento eficaz e não invasivo para a VPPB, que consiste em realizar exercícios específicos que visam reposicionar as partículas de cálcio no ouvido interno. Estes exercícios são baseados na neuroplasticidade do sistema nervoso central, que se adapta às alterações do sistema vestibular e restaura o equilíbrio. 

Os exercícios devem ser realizados com frequência e persistência, até que os sintomas desapareçam. Na maioria dos casos, os resultados são rápidos e duradouros. No entanto, podem ocorrer recidivas da VPPB, pelo que é importante manter um acompanhamento regular e prevenir possíveis fatores desencadeantes.

É importante destacar que a fisioterapia não se limita apenas a tratar os sintomas imediatos dos distúrbios vestibulares. Também desempenha um papel fundamental na prevenção de futuras complicações. Através de exercícios de fortalecimento e equilíbrio, a fisioterapia ajuda os pacientes a desenvolver habilidades que os tornam menos propensos a quedas e lesões relacionadas ao equilíbrio. Essa abordagem holística do tratamento leva em consideração não apenas a recuperação física, mas também o bem-estar emocional e psicológico dos pacientes.

Em conclusão, a fisioterapia desempenha um papel crucial na reabilitação de distúrbios do equilíbrio e desafios relacionados ao sistema vestibular. Através de uma avaliação cuidadosa, um plano de tratamento personalizado pode ser estabelecido para cada paciente, abordando os seus sintomas específicos e necessidades. Com técnicas especializadas e exercícios direcionados, a fisioterapia visa restaurar o equilíbrio, reduzir os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos indivíduos afetados. É fundamental reconhecer a importância da fisioterapia como parte integrante do tratamento e cuidado para aqueles que enfrentam dificuldades relacionadas ao equilíbrio e ao sistema vestibular.

A Fisioterapia Vestibular é também chamada Reabilitação Vestibular.

Paulo Ferreira, fisioterapeuta (Ordem dos Fisioterapeutas nº33)

Entramos em contacto consigo

Saúde da Mulher

Área da fisioterapia que intervem em qualquer disfunção/ alteração no pavimento pélvico.

Unidade Intervenção Ecoguiada

Solicite mais informações pelo formulário.

SOS Fim de Semana

A dor não tem hora nem dia para aparecer, por isso não espere por segunda-feira para aliviar a su...